Home Destinos de Viagem As maravilhas do Chile, Bolívia e Peru

As maravilhas do Chile, Bolívia e Peru

14
2385
mulher sentada no topo de uma montanha no deserto

Assim como é comum combinar uma viagem à Argentina e ao Uruguai, muita gente gosta de conhecer Chile, Bolívia e Peru de uma vez só. Claro que não é possível visitar tudo, já que são países com muitas atrações interessantes, mas com um bom roteiro, os viajantes podem explorar algumas das atrações mais icônicas de cada um.

Confira abaixo!

O incrível Deserto do Atacama, no Chile

O roteiro começa em San Pedro do Atacama, onde fica o deserto mais seco do mundo. Por lá, é possível apreciar paisagens únicas, que vão de vulcões e gêiseres até lagos e formações rochosas. Há muito para ver e fazer por lá, de forma que o ideal é ter pelo menos cinco dias para curtir os diferentes passeios.

Em um dia só, você poderá conhecer os famosos Vale da Lua e Vale de Marte, que receberam esses nomes justamente por conterem cenários que não parecem parte do nosso planeta, com formações rochosas curiosas.

foto do céu em uma noite no atacama

Depois, vale a pena explorar os Gêiseres de Tatio, cuja erupção acontece toda manhã. Essa é uma atração imperdível, já que é um fenômeno que acontece em pouquíssimos lugares do mundo.

O tour astronômico acontece durante a noite. A Atacama não tem muita luz artificial, o que, junto com sua altitude elevada, faz dele um local ideal para observar o céu. A olho nu ou com telescópios, os visitantes mergulham nas belezas e mistérios do universo.

Também vale a pena conhecer as Lagunas Altiplânicas, onde o horizonte muda de figura com água, vegetação e até alguns animais, como as vicunhas; o Salar do Atacama, onde vivem três espécies de flamingos; e as Termas de Puritama, com agradáveis piscinas termais.

Bolívia: Salar de Uyuni e La Paz

É possível cruzar a fronteira do Chile para a Bolívia por terra, saindo de San Pedro em direção a Uyuni com transferes particulares ou compartilhados. O percurso é longo e boa parte da estrada não é asfaltada, mas garante belas paisagens, e o destino final é de tirar o fôlego. Já no caminho você passará pela Reserva Nacional Eduardo Avaroa, onde poderá ver gêiseres, desertos, flamingos, lagoas e mais.

É preciso reservar um dia todo para visitar o Salar de Uyuni, que é o maior deserto de sal do mundo, com mais de 10 mil quilômetros quadrados e situado a mais de 3,6 mil metros de altitude. O cenário muda um pouco dependendo da época do ano: no período mais seco, estende-se branco até o horizonte; na estação que tem mais chuvas, o sal fica coberto com uma fina camada de água, dando a impressão de que o viajante está sobre um espelho sem fim.

Depois, é a vez de conhecer La Paz. O melhor é ir até lá de avião: há voos diretos conectando Uyuni à cidade, que duram cerca de 1h30. Situado em um vale rodeado de montanhas, o destino conta com belas construções coloniais e charmosas ruas de pedra. Entre as principais atrações locais estão o Museu Casa Murillo, o Museu da Coca o Palácio Quemado.

foto de uma rua em la paz

Também vale a pena contratar excursões para conhecer os arredores, como o Tiwanaku, um sítio arqueológico construído há cerca de 1,5 mil anos, e, para os mais aventureiros, um passeio de bicicleta que percorre a Estrada da Morte. Dependendo das atividades escolhidas, o período na Bolívia pode ser de três a cinco dias.

As belezas peruanas em Cusco e Machu Picchu

Por fim, um voo de uma hora de duração te levará até Cusco, uma das mais belas cidades do Peru, que já foi capital do Império Inca e uma das mais ricas cidades coloniais da América do Sul, onde se pode passar entre quatro e cinco dias.

Lá, passeie pelo centro histórico, conhecendo a Plaza de Armas e o Qoricancha, o Templo do Sol. Há inúmeras igrejas belíssimas, como a Catedral de Cusco e a San Blas, além do Mercado Central de San Pedro, onde há deliciosos frutas exóticas, e o excelente Museu de Arte Pré-Colombiana.

A viagem se encerra em um dos destinos mais incríveis de todo o continente: Machu Picchu. É possível fazer um bate-e-volta a partir de Cusco, mas uma boa opção é hospedar-se em Ollantaytambo ou Águas Calientes na noite anterior a este passeio, assim o trajeto até a Cidade Perdida dos Incas será menos cansativo.

A 2,4 mil metros de altitude, Machu Picchu é uma verdadeira fortaleza, que parece ter sido construída com conhecimentos que os seres mais inteligentes do século 21 ainda não possuem, o que explica todo o mistério que cerca esse destino. As pedras enormes se encaixam perfeitamente umas às outras, criando um visual imperdível, e a vista para as montanhas ao redor é simplesmente esplêndida.

Comments are closed.